Eleitor do Futuro realiza etapa final no Jardel Hottz

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Eleições simuladas na escola envolveram tanto os jovens que o fato surpreendeu até mesmo servidores do TRE-RJ
Por Bruno Pedretti
O programa Eleitor do Futuro, promovido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ), realizou a última etapa do projeto que visa estimular a participação cidadã de crianças e adolescentes no processo eleitoral, na Escola Municipal Jardel Hottz, na última terça-feira, 24. Durante dois turnos, servidores do TRE visitaram a escola e promoveram uma eleição fictícia com os alunos. Paulo Virgílio, Fátima Pedrete e Gláucia Drummond, da 222ª Zona Eleitoral, elogiaram a atitude da diretora da escola, Adriana Machado, que incentivou os estudantes a realmente participarem do projeto.Sempre dispostos a cooperar para a formação e o desenvolvimento das crianças como cidadãs conscientes, os servidores do TRE assistiram à simulação de uma propaganda eleitoral gratuita, estimulada pela diretora Adriana Machado e produzida pelos professores e alunos. Na propaganda, candidatos mirins apresentaram as propostas de seus partidos (cujas siglas-fantasias foram antecipadamente distribuídas pelos servidores do TRE), falando sobre inúmeros temas de interesse da população. Na sequência, um debate entre os supostos estudantes-candidatos foi filmado, com cada qual defendendo os temas propostos. Os alunos-candidatos foram selecionados durante a primeira visita dos servidores do TRE à escola, quando realizaram uma palestra e explicaram o certo e o errado em uma eleição.A seriedade com que os alunos encararam as eleições simuladas deixou entusiasmados os servidores do TRE, responsáveis pelo projeto na cidade. Os estudantes receberam um título de eleitor sem validade, para ser apresentado aos mesários voluntários na hora da votação na urna eletrônica. Gláucia Drummond explicou aos alunos como deveriam proceder na urna eletrônica.As eleições fictícias tiveram início com duas mesárias selecionadas na Jardel Hottz. As crianças que entravam na sala exclusivamente disponibilizada para as eleições simuladas, transpareciam seriedade, mesmo sabendo que aquelas eleições não tinham validade legal, mostrando que haviam de fato entendido os principais objetivos do projeto.Sem dúvida, um dos diferenciais para que o programa Eleitor do Futuro desse certo na Escola Municipal Jardel Hottz foi o envolvimento da diretora Adriana Machado com o tema cidadania. Antes mesmo de saber do programa do TRE, Adriana já incentivava os alunos a serem mais conscientes e, consequentemente, a influenciarem seus pais de forma positiva. A escola foi selecionada pela chefe de cartório da 222º, Fátima Pedrete, ainda em maio, quando ela assistiu ao desfile cívico-militar de aniversário da cidade e se empolgou ao ver que os alunos da Jardel Hottz caminhavam de mãos dadas, com faixas afirmando a importância da cidadania.Já na chegada à escola, no dia da eleição simulada, cartazes produzidos pelos alunos surpreenderam os servidores do TRE, que perceberam de imediato a dedicação e envolvimento dos estudantes junto ao projeto. Segundo Adriana, o tema cidadania deve ser sempre trabalhado nas escolas, não só na época da eleição. “Fomos procurados pelo TRE, mas já estávamos desenvolvendo um trabalho, que se chamava Cidadão do Futuro: crítico, consciente e atuante, e o programa Eleitor do Futuro se encaixou perfeitamente, agregou muito ao nosso projeto”, afirmou.A diretora ressalta a importância dos jovens vivenciarem uma eleição, mesmo que simulada. “As crianças ficaram muito envolvidas. Não foi só uma palestra, um informativo, e sim uma vivência, elas realmente participaram. Souberam o que pode e não pode numa eleição, já têm a consciência do que defender e uma base para refletir”, afirmou Adriana. Ela disse ainda que não pretende encerrar o projeto e enfatizou a criação dos cartazes pelos alunos, além da propaganda eleitoral elaborada por eles. “Acabou a parceria com o TRE, mas vamos dar continuidade ao programa de conscientização do aluno. A parceria foi excelente, cada servidor veio até a escola com o intuito realmente de ajudar, foram superparticipativos, o que contagiou e envolveu todas as crianças ainda mais. Os próprios alunos quiseram mostrar aos servidores os trabalhos que realizaram”, finalizou Adriana.


Estudantes do Jardel Hottz exibem o título de eleitor, sem validade, que receberam do TRE-RJ

Fonte:http://www.avozdaserra.com.br/noticias.php?noticia=10926

Projeto prepara crianças para o exercício da cidadania

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Publicado em 24/08/2010 - 15:09:45
Eleitor do Futuro simula o processo eleitoral com as crianças

Em Nova Friburgo o projeto “Eleitor do Futuro” prepara as crianças para o exercício da cidadania.
Apesar de ainda não votarem, as crianças aprendem tudo sobre o processo das eleições neste projeto da Justiça Eleitoral.
As simulações acontecem como se fosse na vida real. O eleitor do futuro entrega o título ao mesário, recebe a liberação e vai votar. Na urna eletrônica ele fica sozinho. Afinal, o voto é secreto. Confira a matéria completa no vídeo ao abaixo.
Fonte: http://intertvonline.globo.com/rj/noticias.php?id=10421

video

Projeto Eleitor do Futuro esclarece a jovens a importância do voto consciente.


Em todo interior do Rio de Janeiro, apenas dois municípios foram contemplados com o projeto: Nova Friburgo e Miguel Pereira
Formar cidadãos conscientes. Esse é o objetivo do projeto "Eleitor do Futuro" que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) está levando para dentro das salas de aula. Em Nova Friburgo, os jovens entenderam o quanto é importante estar atento para acertar na hora do voto.

Nesta quinta-feira (05) o assunto da aula é cidadania. Alguns alunos do quinto e sexto ano, participam do programa Eleitor do Futuro e durante a tarde de ontem aprenderam sobre o que é cartório e zona eleitoral, ouviram a história do voto, entenderam que durante muitos anos de ditadura os brasileiros não puderam escolher os governantes e que hoje, a democracia só existe porque muitas pessoas brigaram pelas eleições diretas.

Em todo interior do Rio de Janeiro, apenas dois municípios foram contemplados com o projeto: Nova Friburgo e Miguel Pereira. E a justiça eleitoral espera que, só em Nova Friburgo, mais de 500 estudantes possam entender um pouco mais sobre a importância do voto.

E parece que estes meninos e meninas já estão bem por dentro de como deverão agir quando chegar a hora deles de votar. Foi o que demonstraram Carlos Felipe Fazollo, Gustavo Gonçalves Correa, ambos de de 13 anos, e Letícia Araújo dos Santos, de 12 anos.

Mas o trabalho apenas começou. Adriana Machado, diretora da escola, contou que neste ano eles ainda terão muito o que falar sobre eleições. E conscientizar os adolescentes significa multiplicar cidadania.

Fonte: http://in360.globo.com/rj/noticias.php?id=10206

video

"CIDADÃO DO FUTURO: crítico, consciente e atuante!"

Todos os dias a gente ouve falar em cidadania, em respeito aos direitos do cidadão. Apesar de serem termos muito utilizados, nem sempre sabemos exatamente o que significam. Consultando o dicionário, descobrimos que cidadão é a pessoa que se identifica culturalmente como parte de um território e seus costumes; é aquele que usufrui dos direitos e que cumpre os deveres estabelecidos em lei. Assim, exercer a cidadania é ter consciência das suas possibilidades e obrigações, é lutar para que o que é justo e correto seja posto em prática, é entender que cada ação tem um efeito para si e para os outros.
Portanto, é função social da Escola, em consonância com os PCN’s, que apontam como objetivos norteadores da ação pedagógica o desenvolvimento da autonomia, da responsabilidade, da solidariedade e do respeito ao bem comum, assim como os princípios políticos dos direitos e deveres de cidadania e o exercício da criticidade.
Não há dúvida de que atingir esses objetivos tem constituído um grande desafio para os educadores, no entanto, o espaço escolar é um lugar privilegiado para a formação do cidadão, tendo em vista o convívio social e a possibilidade de viver experiências educativas conduzidas por profissionais formados para este fim.

A proximidade das eleições 2010 e a parceria com o TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL/Nova Friburgo, via Projeto Eleitor do Futuro, vislumbrou ainda mais uma nova oportunidade para trazer à tona estes temas, que são a base do trabalho que devemos buscar realizar colaborando para que nossos alunos se tornem futuros agentes de mudança social, conhecendo de fato seus direitos, para que possam lutar por eles.
É lógico que não podemos falar de cidadania sem mencionar também os deveres. Afinal, é à medida que cumprimos com nossas obrigações, que permitimos que os outros possam exercitar seus direitos e vice-versa. E nesse aspecto será necessário estimular a todos a pensar em quais são seus deveres na sua escola, na sua casa e na cidade em que vive? Para tal, estar bem informado é fundamental, pois somente assim, poderão se tornar no futuro, cidadãos, críticos, conscientes e atuantes.

Objetivos

 Conceituar e conhecer os instrumentos que qualificam o cidadão, compreendendo cidadania como participação social e política e reconhecendo-se como possível agente de mudança social.
 Conhecer os direitos e deveres da criança enquanto cidadão, adotando no dia-a-dia, atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, manifestando respeito pelo próximo e exigindo o mesmo para si.
 Posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e tomar decisões coletivas.
 Conhecer as características fundamentais do Brasil nas dimensões sociais, materiais e culturais como meio de construir progressivamente a noção de identidade nacional e pessoal e o sentimento de pertinência ao País.
 Questionar a realidade formulando-se problemas e tratando de resolvê-los, utilizando para isso o pensamento lógico, a criatividade, a intuição, a capacidade de análise crítica, selecionando procedimentos e verificando sua adequação.
 Reconhecer a importância do processo eleitoral e o papel do cidadão na escolha de seus representantes.
 Perceber a participação social como fundamental na construção de uma sociedade melhor, estimulando os alunos a vivenciar boas práticas sociais.